Polícia
04 Jul de 2013 - 22:11 - por Redação com assessoria

Músico é denunciado pela morte de adolescente em Rio Largo

 

Nesta quarta-feira, 03, a 3ª Promotoria de Justiça de Rio Largo ofertou uma denúncia contra o empresário e vocalista da banda Forrozão Capa de Sela, Ivanilson Monteiro de Oliveira, pelo assassinato da adolescente Gilmara Santos Silva. Além dele também foram acusados Jomilto Soares Braga, o “Baiano”; Aldigesy Deodato da Silva, o “Pinto”; e Valdijanio Francisco da Silva, o “Jânio”

Segundo, o promotor Silvio Azevedo, responsável pela 3ª Promotoria de Justiça Comarca de Rio Largo, “a autoria e materialidade estão evidenciadas no incluso inquérito policial, tendo em vista as provas testemunhais e materiais colhidos”. As condutas perpetradas pelos denunciados amoldam-se ao descrito no art. 121, § 2º, I e IV, c/c o art. 29, ambos do Código Penal Brasileiro.

Os quatros acusados também responderão por crime de aborto provocado por terceiro, tipificado no art. 125 do Código Penal. Jomilto responderá ainda por crime de posse de entorpecente, já que foi encontrada uma pequena quantidade de cocaína em sua residência, caracterizando o o delito do art. 28 da Lei 11.343/06.

A ação penal foi encaminhada à 3ª Vara Criminal do município. Além da denúncia, o Ministério Público do Estado de Alagoas (MP/AL) requereu o exame cadavérico da adolescente.

Relembre o caso:

No dia 15 de maio próximo ao trevo de acesso à cidade de Messias, em Rio Largo, e a jovem, grávida do músico há cinco meses, por não querer realizar o aborto foi assinada.Há época, a irmã da vítima havia informado a polícia que a jovem não tinha sido procura pelo empresário para interromper a gestação.

O motorista do empresário , Aldigesy Deodato da Silva,  quando foi preso, confirmou a polícia o crime. O MP/AL acusa Ivanilson e Jomilto de serem os autores intelectual e material do crime, respectivamente. O músico teria pago R$ 1200,00 para “Baiano” executar Gilmara.

Por articular o assassinato e contratar o executor, Aldigesy é acusado de co-autoria do homicídio. Já Valdijânio responde como partícipe, já que foi ele o responsável por ajustar valores com Jomilto e entregar parte do dinheiro do pagamento a ele. De acordo com o inquérito policial entregue ao MP/AL, “Jânio” também teria ficado com os pertences da vítima após o assassinato.

Fonte: Correio de Alagoas

Deixe seu comentário:

Comentário enviado com sucesso.

Seu comentário está aguardando aprovação, em breve será exibido junto à notícia.